Festas Típicas


Altar da Padroeira
Altar da Padroeira
A Padroeira da cidade é Nossa Senhora de Brotas, comemorada ao dia 8 de Setembro. Não se sabe a data exata do início da comemoração, mas apenas que ela se iniciou com uma lenda.

Conta a lenda que um agricultor pobre só tinha uma vaquinha, e com o leita desta alimentava sua família. Certo dia, a vaca sumiu e ele apelou à Nossa Senhora para encontrar o animal. Dias depois ele encontrou a vaca machucada numa grota do boqueirão, e a partir daí começou o culto a Nossa Senhora das Grotas, posteriormente Brotas.

Os festejos começam dia 30 de Agosto com o início das novenas, onde participam devotos e pessoas de toda a comunidade. Na manhã do dia 8 de Setembro, há uma alvorada em homenagem à Santa, e mais tarde uma Missa Solene com a participação de centenas de fiéis que lotam a Igreja Matriz. À noite, o clube da cidade, o Balneário, oferece um baile onde os jovens se divertem a valer.

Há mais de 20 anos existe o Encontro de Brotenses em São Paulo. Sempre no dia 7 de Setembro, brotenses ou os amigos destes, de reúnem para a Missa em louvor à Padroeira desta cidade tão querida, e para eles, tão distante. Em 2000, a Festa de Nossa Senhora de Brotas foi celebrada na Igreja de São João Vianey, na Praça Cornélia.

Em 1999, em Salvador, Rosalvo Júnior e com sua esposa Rosana (ambos Brotenses) organizaram uma Missa e depois uma feijoada que contou com a participação de muitos brotenses que se sentiram mais próximos de sua terra tão amada.

Procissão do Divino Esp?rito Santo (2000)

Procissão (em 2000)

A festa do Divino (foto acima) teve inicio há 700 anos em Portugal, após o Milagre das Rosas protagonizado por Santa Isabel, quando eram distribuidos pão e carne aos pobres. Introduzida no Brasil por volta de 1765, há registros desta festa em todas as regiões do Brasil, sendo que cada uma tem suas particularidades.Na Bahia, o Pentecostes é festejado em várias cidades: em algumas, o Imperador do Divino é representado por uma criança (simbolizando Dom Pedro II) e percorre as principais ruas da cidade numa animada procissão seguidas pela Filarmônica onde os músicos estão trajados de marinheiro (há um momento da festa em que os músicos tocam pandeiros e outros instrumentos de percussão, é a chamada marujada). Pela manhã logo cedo tem a alvorada com canto e fogos de artifício.

Há muitos anos, em Brotas, o Imperador era uma criança e havia também a marujada, mas com o crescimento da festa pessoas dos distritos mais distantes começaram a visitar a cidade montadas a cavalo, e assim participavam da festa. Esta mudança foi absorvida, e hoje o Imperador é seguido por uma comitiva de cavaleiros e amazonas (foto abaixo) que percorrem jubilosos, na tarde de sábado, as principais ruas da cidade ostentando o símbolo sagrado do Espírito Santo, a pomba branca da paz.

Imperador - Divino Esp?rito Santo (2000)

Imperador (em 2000)

Em seguida, é feita a parada na frente da Igreja para a multidão saudar o Divino com cânticos e salva de palmas. À noite, o Capitão do Mastro segue num animado cortejo pelas ruas para fincar o mastro em frente à Igreja. Enfeitado de fitas e flores, o mastro traz no topo a bandeira do Espírito Santo.No Domingo pela manhã, fiéis de toda a comunidade e ainda de outras cidades se reúnem na Igreja matriz para a missa em louvor do Divino Espírito Santo. Pessoas que conseguem graças pedindo ao Divino costumam vestir-se de vermelho ou acompanhar a missa e a procissão descalças. Esta festa é um ritual de fé, esperança e paz, onde os participantes rendem graças ao Divino e renovam seus votos de crença e amor em Deus.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.