Receitas e Pratos Típicos


Nossa cidade tem um cardápio farto de guloseimas típicas do Nordeste, como:

Para o café da manhã:

    café da manhã

  • Aipim
  • Cuscuz
  • Beijú (de tapioca ou de massa)
  • Peta (biscoito de tapioca frito, pode ser doce ou salgado)
  • Bolinho de milho
  • Bolinho de trigo
  • Batata doce
  • Banana da terra
  • Farofa de banana da terra
  • Paçoca de pilão (farofa de carne pisada no pilão)
  • Arroz de leite
  • Avoador
  • Ginete (biscoito de tapioca, manteiga, açúcar e ovos)
  • Requeijão
  • Brividade
  • Jerimum com leite

Para o almoço:

    almoço

  • Feijão de corda com costela de porco
  • Galinha caipira com leite de coco
  • Buchada de boi
  • Buchada de bode
  • Sarapatel (boi ou porco)
  • Torresmo de porco (para acompanhar feijão de corda)
  • Arroz de carne
  • Carne de sol frita (ótima para acompanhar aipim cozido)
  • Linguiça
  • Feijão com pequí
  • Frito de galinha ou carne
  • Lombo assado
  • Cortado de maxixe, banana verde, abóbora, ou mamão verde
  • Quibebe de abóbora com quiabo

Tira-gosto:

  • Traíra frita
  • Torresmo de porco
  • Linguiça frita

De época:

    milho

  • Beijú de massa (só encontrado na época da feita de farinha)
  • Milho assado ou cozido
  • Mingau de milho
  • Pamonha
  • Garapa de cana (só encontrada na época da moagem da cana)
  • Umbuzada (leite, umbu cozido e açúcar batido no liquidificador)
  • Pequí (usa-se os caroços cozidos no arroz ou feijão)

Frutas:

    frutas

  • Pinha
  • Manga
  • Cajú
  • Umbu
  • Jaca
  • Puçá
  • Muricí
  • Pitomba
  • Goiaba
  • Romã
  • Maracujá
  • Carambola
  • Mamão
  • Banana
  • Acerola
  • Mangaba
  • Burití

Outras delícias da terra:

    del�cias da terra

  • Mel de cana
  • Rapadura
  • Doces de cajú, leite, e de burití
  • Óleo de coco
  • Rosário de coco licurí
  • Manteiga de garrafa (ótima com cuscuz)
  • Licor de genipapo
  • Caçhaca
  • Quentão (espécie de bebida feita com caçhaca, açúcar, essência e gengibre, servida quente nas festas juninas)
Ingredientes

* 1 litro de óleo
* 3 litros de tapioca (ou três vezes a medida do óleo)
* 1 litro de água
* 2 colheres de sopa de sal
* 2 dúzias e meia de ovos (aproximadamente)Modo de preparar

Passe a tapioca por um peneira e reserve.

Ponha o óleo, a água e o sal em uma panela e leve ao fogo até que levante fervura.

Quando estiver fervendo despeje tudo de uma só vez na tapioca e com o auxílio de uma colher, misture este líquido por toda a tapioca.

Espere esfriar e comece quebrando de 6 a 7 ovos nesta massa, misturando uniformemente. Feito isso, divida a massa em 3 ou 4 partes e sove até que esteja firme e macia (parecendo massa de peta).

Em uma bacia bata uma dúzia e meia de ovos e aos poucos acrescente a massa sovada, misturando até que esteja homogênea (tem que ficar mais grossa que massa de bolo), se precisar, acrescente mais ovos.

Neste momento, unte as formas retangulares com óleo. Coloque a massa num coador de pano ou plástico e faça bolinhas ou círculos até preencher toda a forma, cuidando para deixar um pequeno espaço entre elas.

Leve para assar em forno pré-aquecido.

Observação importante: As doceiras de Brotas e da região assam o avoador em forno de lenha, gastando para isso de 5 a 8 minutos em cada fornada. No entanto, as pessoas que moram em grandes cidades assarão em forno a gás. Aqui o tempo varia de fogão para fogão. O ponto certo para tirar as bandejas é quando as bolinhas estiverem crocantes.

Uma outra dica útil é assar novamente o avoador por 5 minutos em forno pré-aquecido quando eles estiverem “murchos”. Isso geralmente ocorre quando eles pegam umidade ou depois de algum tempo já preparados. Ao assar novamente você deixará o seu avoador como se fosse recém-feito (eu mesma já testei e aprovei…).

Quando estiverem em Brotas e desejarem comprar ou encomendar bolachinha, ginete, avoador ou brividade podem falar com Maria, que há décadas faz estas verdadeiras delícias da culinária local, sempre muito apreciadas por brotenses e visitantes. Maria mora na rua São José, próximo ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Para os que estão ressaqueados, temos uma receita energética e revigorante:

Corte a carne de sol bem miudinha, tempere com alho, cominho, pimenta do reino, cebola, tomate, pimentão, cheiro verde, cebolinha e extrato de tomate (reserve por uma hora para tomar gosto).

Frite pedaços de toucinho, junte uma cebola média cortada bem miudinha, quando dourar, acrescente a carne para refogar. Feito isto, vá colocando água aos poucos e experimentando o sal, em aproximadamente 30 minutos a carne está cozida, deixe bastante caldo, junte ovos, mexa bem e engrosse o caldo com farinha de mandioca cessada (para 300 gramas de carne, use 2 ovos).

Obs: o rupiado pode ser servido num copo ou num prato. Se for servir num copo, não deixe o caldo muito grosso. Para ser consumido num prato, o caldo pode ser mais espesso, já que vai se usar uma colher.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.